Últimas Notícias

Roraima concentra maior percentual de presos estrangeiros do país, aponta Ifopen

No total, Roraima teria o equivalente a 39 presos estrangeiros no sistema carcerário

Créditos: Bryan Araújo
Estado também lidera ranking de presos portadores de algum tipo de deficiência - Edinaldo Morais/Roraima em Tempo

Roraima lidera o ranking de estados que concentram o maior percentual de presos estrangeiros entre as populações carcerárias no Brasil, cerca de 1,5%, de acordo com o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) referente a junho de 2017. Os dados do estudo só foram divulgados na última sexta-feira (12) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

No total, Roraima teria o equivalente a 39 presos estrangeiros no sistema carcerário. O estado é seguido por Mato Grosso do Sul, com 0,8% e São Paulo, com 0,6%. Alagoas, Amapá, Maranhão e Tocantins estão entre os estados que não notificaram a existência de estrangeiros entre os reeducandos.

Na época da pesquisa, o total de detentos de outros países nas cadeias brasileiras correspondia a 2161. Desse, a maior parte é proveniente de países do continente americano, com 1.225 pessoas ou ainda 56,4%, seguido de 541 pessoas, ou 24,9%, do continente africano e 278 pessoas, ou 12,8%, de países europeus.

Ainda de acordo com o relatório, Roraima também é uma das unidades federativas com o maior número de presos com algum tipo de deficiência no país, com 1,6%. O Estado só fica atrás de Sergipe, com 2,8% e o Maranhão, com 1,8%. Os dados do levantamento apontam que a maior parte destes presos apresenta deficiência intelectual, seguida por pessoas com deficiência física.

AGUARDANDO JULGAMENTO

O Levantamento realizado pelo Infopen aponta que 43,78% dos reeducandos do sistema prisional de Roraima ainda aguardam julgamento. A porcentagem está acima da média nacional, que ficou em 32,4%. No total, há 1.134 mil presos sem condenação em todo o estado. Em todo o país, são 235.241.

Entre os estados da região norte, Roraima fica em segundo lugar na porcentagem de presos provisórios, atrás apenas do Amazonas, com 53,9%. De acordo com o relatório, o estado do Piauí tem a maior taxa de presos aguardando julgamento do país, cerca de 60%.

Conforme o levantamento, o estado conta com 2.590 presos, um número maior que o próprio número de vagas no sistema, que é de 1.234. O déficit, portanto, chega a 1.345 vagas. Ainda assim, Roraima permanece como o Estado com a menor população prisional do Brasil.

PERFIL DOS DETENTOS

A maior parte dos detentos é do sexo masculino, cerca de 94%. No ano do levantamento, apenas 6% mulheres estavam detidas. A maioria também é composta por jovens, com idades entre 18 e 24 anos, correspondendo a 26 %. Outros 20% estão na faixa entre 25 e 29 anos.

Ao menos 27% dos detentos possuem ensino fundamental incompleto e 14% não terminou o ensino médio. Apenas 1,3% dos presos de Roraima possui ensino superior completo. Em relação a etnia, 57% da população prisional do Estado declarou ser da cor parda. Todavia, esse número pode ser ainda maior já que quase 19% dos detidos não teve etnia informada no levantamento.

LEVANTAMENTO NACIONAL

Ainda de acordo com os dados do levantamento realizado pelo Infopen, a população prisional no país cresceu em média 7,1% ao ano. A quantidade de detentos saltou de 232 mil para 726 mil, entre 2000 e 2017. Ainda segundo o relatório, o sistema carece de 303.112 vagas para atender todos os presos.