Coluna Roraima Alerta

Roraima cheia de problemas e Chico Rodrigues está no Cazaquistão

110619 RR Alerta


Cazaquistão


Uma boa parte dos roraimenses com certeza nem sabe apontar no mapa onde fica o Cazaquistão. Pois esse foi o novo destino do senador Chico Rodrigues (DEM), usando dinheiro público pra pagar a passagem internacional, hospedagem e mais diária e ajuda de custo, o senador foi acompanhar o resultado das eleições realizadas naquele país. De que maneira essa viagem é útil para Roraima? Ninguém sabe dizer, mas é no mínimo, falta de bom senso do parlamentar que assinou o bloqueio de recursos pra Prefeitura de Boa Vista e pelo visto, nem sabe como anda a situação dos pacientes no Hospital Geral de Roraima.

Km rodados


Em seis meses de mandato, essa é a terceira viagem internacional que Chico faz e os destinos foram os mais inusitados possíveis: primeiro a Antártida, depois Israel e agora, Cazaquistão. Chico foi eleito pra viajar ou pra ajudar a resolver os problemas de Roraima? O senador perdeu completamente a noção do bom senso e da responsabilidade que deveria ter com o Estado. Político tem que trabalhar pra defender quem o elegeu e não ficar fazendo turismo por lugares que em nada vão contribuir pra melhorar o Estado.

 

Fez a limpa

Que há muita desconfiança em relação a desvios de recursos cometidos na gestão da ex-governadora Suely Campos, todo mundo sabe. O que chamou atenção no começo desta semana foi o fato de a Casa Civil criar uma comissão para apurar o sumiço de documentos oficiais do Governo. Segundo informado, esse processos estavam em computadores da Casa e apenas os servidores tinham acesso aos mesmo. As suspeitas é que esses documentos tenham sido apagados ou corrompidos em outubro, logo após as eleições e antes do Governo Federal decretar a condição de intervenção federal em Roraima.

 

Mais uma

Essa suspeita é mais uma que entra para o currículo de absurdos cometidos na gestão dos Campos. Operações da Polícia Federal constataram irregularidades nos contratos das marmitas do sistema prisional, onde a empresa que fornecia a alimentação era diretamente ligada ao filho de Suely, Guilherme Campos. Foi essa investigação que também enrolou a vida do deputado estadual Renan Benkel (PRB), apontado como um dos sócios da QualiGourmet. Na Secretaria Estadual de Educação, os desvios de recursos do transporte escolar levaram à acusação da deputada estadual Ione Pedroso e seu esposo, Wallace Barbosa que era suplente de Ângela Portela nas eleições 2018. Neste caso, Suely saiu ilesa mas a responsabilidade ainda pesa para a ex-gestora.

 

Penalizada

Com tantos escândalos envolvendo sua gestão, o que causa espanto é que Suely ainda não foi responsabilizada por nada. E isso se deve muito à vagareza em que os processos de análise das contas públicas são feitos. Em alguns casos, o Tribunal de Contas do Estado leva anos para concluir o julgamento sobre as contas de determinadas pastas. Assim, mesmo que existam tantos indícios apontando a existência de contratos irregulares e de desvio de recursos públicos, a ex-governadora segue impune.

 

Entregou

O próprio governador Antônio Denarium (PSL) fez questão de entregar aos órgãos competentes, relatórios que apontam o desvio de recursos públicos cometidos na gestão de Suely. O próprio dinheiro que deveria ser usado para atender as necessidades dos produtores com a recuperação das vicinais é um exemplo disso. Pra quem não lembra, pouco antes da campanha eleitoral Suely e sua fiel escudeira Ângela Portela percorreram alguns municípios anunciando as ações da Patrulha Mecanizada.

 

Constatado

O contrato para tal serviço foi formalizado junto à Codesaima e há poucos meses foram constatadas várias irregularidades como a cobrança por trechos de vias não recuperadas e até a incompatibilidade da natureza do serviço com as atribuições previstas à Companhia. Segundo Denarium foram desviados mais de R$ 21 milhões foram da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide-combustíveis), recursos que deveria ser investido em recuperação de pontes e estradas vicinais. Por conta disso, o Governo está em dívida com o Governo Federal e esse tipo de obra que é tão importante para a agricultura familiar só poderá ser feita quando a dívida for renegociada junto à União.

 

R$ 50 milhões

O levantamento feito pela atual gestão aponta que no total, esses desvios geram um prejuízo de R$ 50 milhões aos cofres estaduais. Sumiu dinheiro também das obras de recuperação da BR-174 e da BR- 210, tudo relatado nos documentos entregue por Denarium ao Tribunal de Contas da União (TCU). Por justiça e pela condição financeira que o Estado enfrenta o que se espera é que essas denúncias sejam apuradas e, principalmente, que o dinheiro seja devolvidos aos cofres públicos, garantindo a conclusão desses serviços que são fundamentais para a melhoria da infraestrutura do Estado.


SEE ALSO ...