Polícia

Traficante é detido com cocaína e acaba solto por falta de reagente

Produto químico utilizado pela perícia da Polícia Civil está em falta, por isso não foi possível examinar entorpecente

Créditos: Nonato Sousa

Mais um criminoso que foi detido com droga e conduzido para a delegacia acabou voltando pras ruas devido à falta de reagente (produto químico utilizado pela perícia da Polícia Civil) para confirmar que o material apreendido é mesmo entorpecente. Trata-se de José Ribamar Alves Júnior, 31, apelidado de "Osama", ex-presidiário e velho conhecido da polícia. Ele também é integrante da facção criminosa primeiro Comando da Capital (PCC).

Osama foi detido quinta-feira (13) por policiais da Divisão de Inteligência e Captura (Dicap) da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) e do Departamento de Informação e Inteligência (DII) da Polícia Militar, após denúncia anônima. Ele foi localizado num barraco numa área de invasão no bairro Cidade Satélite.

TRIBUNAL DO CRIME

De acordo com informações repassadas por um policial da Dicap, o denunciante alegou que uma jovem estaria num cativeiro sendo submetida ao "tribunal do crime" e o local seria conhecido como a "Boca do Osama". Após a denúncia, os policiais da Dicap e DII, que já sabiam do local, foram para lá a fim de confirmar as informações e libertar a vítima, mas após a prisão do ex-presidiário descobriram que a jovem tinha sido retirada do local 20 minutos antes.

Na chegada da equipe policial, Osama tentou fugir e se livrar do celular que usava para se comunicar com membros da facção, mas não teve êxito e os policiais ainda encontraram o chip do aparelho que ele havia retirado e jogado fora.

"Ele confirmou que Alexssya Gabriela Mendes de Souza, de 16 anos, que estava desaparecida, esteva no barraco, mas antes que as equipes policiais chegassem ela foi levada por outros criminosos num Gol vermelho para local ignorado", informou o policial.

Ao verificar o celular de Osama, os policiais encontraram mensagens de textos e áudios dele e de outros integrantes da facção. As gravações estavam num grupo de WhatsApp dos criminosos, e nas conversas eles falavam da vítima no cativeiro.

"Num dos áudios, um dos criminosos deu a ordem para matar a jovem. Pelas informações obtidas, o mesmo bando pode estar envolvido na morte de Theones Reis de Castro, cujo corpo foi encontrado na RR-205 próximo ao Anel Viário, quarta-feira [12]", destacou o agente público.

DROGA

Durante a ação policial, no barraco de Osama, os policiais encontraram cerca de cem gramas de pasta base de cocaína. O suspeito confessou que usava e vendia drogas. Ele foi conduzido ao Plantão da Polícia Civil para ser autuado em flagrante, mas a reportagem foi informada que o delegado de plantão ficou impossibilitado de determinar a prisão do criminoso em flagrante por tráfico de drogas, porque a Polícia Civil não tinha o reagente para fazer a constatação de autenticidade do entorpecente. Osama acabou sendo liberado depois de prestar depoimento e confirmar que era traficante.

Ele alegou que a droga apreendida era de um amigo conhecido como "Nescau". Sobre as mensagens no celular, alegou que foram feitas por Nescau. Confessou ainda que é "companheiro cadastrado da facção PCC" e cumpriu pena na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo.

SEE ALSO ...