Coluna Roraima Alerta

Roraima Alerta 29.01.19


REDUÇÃO

Fontes da Coluna revelam que já houve redução de salários no governo de Roraima. As medidas seguem silenciosas por debaixo dos panos e atinge os comissionados. Uma estratégia boa para manter diversos nomes nas secretarias, mas com custos dentro do esperado. Salários de R$ 6 mil estão reduzidos pela metade, em determinadas unidades administrativas. Só permanecem com remunerações gordas os apadrinhados de nomes fortes dentro do governo, como o do senador eleito Mecias de Jesus. O restante terá de se acostumar com o pouco ou torcer para que os amigos de Antonio Denarium engrossem o caldo no Palácio Senador Hélio Campos.

CONTROVÉRSIA

As mesmas fontes dão conta que o secretariado de Denarium não está sabendo conduzir os trabalhos. Lógico que essa realidade não atinge a todos. Uma boa parte. Muitos não fazem ideia de como conduzir uma secretaria, principalmente contornar o caos instalado pela gestão da ex-governadora Suely Campos. A afirmação de capacidade técnica entra em controvérsia quando analisadas algumas medidas no governo. Tem secretário avaliando Roraima como terra onde governador tem menos voz que deputados eleitos e pede mais compromisso do atual executivo. As assessorias estão tendo de trabalhar mais que os chefes para explicar situações calamitosas.

SEM DATA

Depois do rebuliço que a Educação viveu nas garras dos Campos, está difícil para a atual gestão mudar o cenário de crise social e econômica. Social porque muitos perderam ano letivo. Econômica porque nada de anunciarem nova licitação para o transporte escolar. Pior que isso foi a afirmação do Estado ontem ao Roraima em Tempo de que não há data prevista para iniciar o ano letivo de 2019. "A Secretaria de Educação e Desporto está realizando todos os esforços para dar início ao ano letivo", informou. As investigações da Polícia Federal parecem ter interferido positiva e negativamente nos trabalhos da secretaria. Vamos esperar algo mais concreto do governo. Afinal, os estudantes precisam ir para a sala de aula.

CALMA AÍ

Tem gente que nem sentou na cadeira para a qual foi eleito e já deu à luz a diversos filhos. Alguns parlamentares dizem ter resolvido a questão energética, mas não é bem assim. Tentam adotar o filho que outros políticos criaram. Todos sabem que no ano passado estava definido o leilão para empresas que proporiam melhores fontes de energia para o Estado. Este jornal noticiou os encontros que houve entorno das propostas futuras. Agora, com o edital lançado, alguns aproveitam o título de 'caroneiro' e fazem jus a ele. E antes? Por que nada fizeram durante os 30 anos de política? Vamos mostrar o trabalho de antes e daqui para frente, mas sempre lembrando: o que você fez, e não o que os outros fizeram.

ENQUANDRAMENTO

Tranquilo! O senador Romero Jucá não está morto, como muitos pensam. Ele que articulou a PEC 199 e conseguiu por na Carta Magna o direito ao enquadramento aos antigos servidores do ex-território federal de Roraima. Acontece que tem gente pensando que a decisão do TCU vai jogar um trabalho inteiro por terra. Não é bem assim! O parlamentar, que está prestes a sair do Congresso Nacional porque não foi reeleito pelo povo, disse nas redes sociais que ainda este mês mais listas do enquadramento vão sair e o processo continua a todo vapor. "A Emenda Constitucional é legítima", disse Jucá. O TCU pediu para avaliar apenas os procedimentos internos quanto à análise dos documentos.

SARAMPO

O Brasil, e isso perpassa especificamente por Roraima, caminha para a perda do selo de erradicação do sarampo. O país tem até o mês de fevereiro para reverter o quadro de surto da doença, de volta ao país por causa da migração venezuelana. Ou seja, é praticamente impossível controlar a doença no território brasileiro, tendo em vista que toda semana novos casos são confirmados. A fronteira ainda está instável com a imunização e a resistência da população brasileira é outro entrave. Infelizmente, o trabalho de anos do Ministério da Saúde está sujeito a cair por terra. Vamos depositar as últimas gotas de esperança nas próximas semanas.

SEE ALSO ...