Coluna Roraima Alerta

Coluna Roraima Alerta 06.03.2019

De Renan Bekel a Mecias de Jesus; briga na Venezuela e dinheiro dos candidatos da Civil


Presidente interino da Venezuela busca apoio das Forças Armadas - Divulgação

A SAGA

A Justiça leitoral marcou para o dia 26 de março a oitiva das testemunhas no processo que corre contra o deputado estadual Renan Bekel Filho. Ele é suspeito de comprar votos durante o pleito do ano passado, quando candidato à Casa Legislativa. Segundo a denúncia oferecida pela Procuradoria Regional Eleitoral, ele comprava votos por até R$ 200. Lembrando que o parlamentar está supostamente envolvido no esquema que desviou R$ 70 milhões do Sistema Prisional de Roraima. Renan tentou aumentar o número de testemunhas favoráveis a ele, mas a Justiça não acatou e determinou que apenas seis podem ser ouvidas, tanto pela defesa, quanto acusação. Se esse processo for levado mais a fundo, poderá haver mudanças na ALERR?

CONTROVÉRSIA

A decisão do juiz substituto que não acatou o pedido do Ministério Público Federal para manter Ione Pedroso atrás das grades pode ser revertida. Ocorre que, o entendimento do juiz substituto pode ser rechaçado pelo magistrado titular. Caso isso aconteça, o recolhimento noturno corre risco de ser transformado em prisão preventiva. Ademais, o juiz Helder Girão, quem comanda a Vara onde o processo transcorre, tem tratado com severidade (dentro da lei) os comportamentos da deputada. Na fronteira, nos dias do conflito, fontes da Coluna relataram que a parlamentar perambulava de um lado para o outro e nenhuma tornozeleira pode ser vista. Ela escapou por pouco dessa primeira tentativa do MPF de devolvê-la à prisão. Não pode haver uma segunda chance.

MILHÕES

Pontinhos e pontinhos se liga entorno do Matadouro e Frigorífico de Roraima. Estranho demitir funcionários e emperrar serviços do local público, enquanto o próprio governador tem ligação direta com frigorífico particular no Estado. Além dessa pressão por parte dos funcionários, o processo da Eletrobras (agora Roraima Energia) continua na Justiça contra a Companhia de Desenvolvimento (Codesaima). O valor da dívida? R$ 12,3 milhões, conforme publicação do Poder Judiciário. Esse montante não é quitado há anos e só acumula a cada dia. O Estado tenta reverter a situação, ao mesmo tempo em que se livra do bem e dos servidores. Não fica claro, nessa situação, o que o governo almeja. É bom explicar esse balaio de gato.

BRIGA

Juan Guaidó demonstra resistência a Nicolás Maduro. Ontem, convocou manifestações no setor público de maneira gradativa. Ele ganha cada vez mais apoio dos sindicatos e tenta atingir o público mais complexo: as Forças Armadas do país, sob controle do chavista usurpador. Maduro já perdeu algumas dezenas de militares. São poucos frente à massa militar da Venezuela, mas um início de que ele pode cair a qualquer momento. Guaidó angaria simpatia por todos os lados do país sul-americano e em outros países do continente. Agora, ele vai à Europa para unir forças com representantes das nações europeias. Falta pouco para Maduro sentir o peso da real democracia e viva as consequências de sua ditadura.

MAU EXEMPLO

De novo, toda hora. O senador Mecias de Jesus volta a ser o centro das atenções da fraude da eleição da Casa Legislativa, no início de fevereiro. A Revista Crusoé já tinha o acusado de ser o principal suspeito de depositar as duas cédulas na urna que levaram ao adiamento da eleição para presidente do Senado. Nessa altura do campeonato, Mecias se envolve ainda mais na polêmica, tendo em vista que a mesma revista política afirma que ele pode perder o mandato. Mal começou, e o pé esquerdo da corrupção parece ter falado mais alto. Afinal, ele mesmo está até o tutano com processos na Justiça por ter participado do Escândalo dos Gafanhotos. O que é uma cédula a mais para quem movimentava milhões por ano com cargos fantasmas? Que feio!

NOVO CAPÍTULO

Depois de ter comunicado ao Roraima em Tempo que está em fase de discussão sobre como será feita a devolução da taxa do concurso da Polícia Civil, o governo estadual publicou no Diário Oficial que está em tratativas com a banca organizadora do certame para buscar caminhos que conduzam à devolução do dinheiro aos candidatos. Apenas reforçou o que a Coluna já sabia e oficializou o aviso. Quando isso termina não sabemos. Tampouco previsão sobre a data que começa a ser pago valor um por um. A decepção foi grande e as consequências ainda serão árduas. O Executivo ressaltou que, assim que tiver o detalhamento de como a grana será devolvida, vai divulgar amplamente aos concurseiros.

SEE ALSO ...