Coluna Roraima Alerta

06.04.18_RR Alerta

Desabafo de ex-secretário gera reação em políticos locais


Estremeceu

O desabafo do ex-secretário estadual de Saúde, Ailton Wanderley realmente estremeceu as bases de apoio do governo. Ao afirmar que existe um grande esquema de favorecimento de políticos com recursos que deveriam ser aplicados de maneira mais transparente e eficiente no tratamento de saúde dos pacientes, Ailton fez muita gente tremer na base. Na publicação ele cita deputados estaduais, federais e senadores. Não fala nomes, mas num mundo pequeno como Roraima é muito fácil saber quem são os políticos que, por anos, seguem usurpando o dinheiro que deveria ajudar a salvar vidas. Enquanto isso, os pacientes agonizam e as famílias dos funcionários terceirizados passam fome.

 

Reação

A fala de Ailton gerou reação em algumas pessoas. O senador Telmário Mota (PROS) parecia um galo de briga todo afobado em seu vídeo cobrando do ex-secretário que ele cite os nomes. Pergunta: por que a fala de Wanderley gerou tanto alarido do nobre senador? É o que todo mundo gostaria de saber. Outro que usou as redes sociais para fazer questionamento semelhante foi o deputado federal Hiran Gonçalves (PP). Sempre muito comedido em suas palavras, Hiram também se incomodou com a denúncia. Neste caso, dá até pra seguir uma linha de raciocínio. Hiran esteve o tempo inteiro na base aliada do Governo de Suely Campos, um dos que mais desviou recursos públicos na história de Roraima. Como médico, manteve sua linha de atuação sempre voltada para a saúde, articulando reuniões com o Ministério da Saúde e também liberação de recursos. Será que algum foi desviado no meio do caminho?

 

Pianinho

Agora quem segue pianinho nessa história é Mecias de Jesus (PRB) e quem é próximo do novo senador afirma que ele tá rezando para que nenhuma informação venha à público. Mecias é autor da PEC que alterou o orçamento do Estado, ampliando de 12% para 18% os repasses para a Saúde estadual. Essa mesma lei estadual foi contestada por Antonio Denarium (PSL), no Supremo Tribunal Federal. Mecias não abriu a boca para defender sua própria lei. Além disso, o senador passou a maior parte do seu último mandato na Assembleia Legislativa compondo a base de apoio de Suely. Nesse mesmo período, a empresa União Comércio e Serviços LTDA firmou vários contratos com o governo, sendo que os mais caros foram com a Secretaria Estadual de Saúde.

 

Muito dinheiro

Nesse período, a União recebeu muito dinheiro. Informações encaminhadas ao Roraima em Tempo mostram que de 2015 a 208, a empresa recebeu mais de R$ 80 milhões em pagamentos efetuados pelo Governo. Nas informações do Cadastro Nacional de Pessoa Física (CNPJ), o empreendimento tem como sócios proprietários os irmãos Gilmar Pereira de Araújo e Antônia Pereira de Araújo, parentes diretos de Mecias de Jesus e que vivem em residências bem humildes, longe do padrão de vida esperado por quem movimenta tanto dinheiro. Outro ponto que chama muito atenção é que um dos maiores pagamentos foi liberado em julho, logo no início do período eleitoral, quando Mecias foi eleito para o Senado e seu filho, Jonathan de Jesus (PRB) se elegeu deputado federal para o seu terceiro mandato.

 

Mais uma

Além das suspeitas que pesam contra Mecias em relação aos contratos da empresa União com o Governo, esta semana, a revista Crusoé trouxe uma nova reportagem citando o senador roraimense. A revista está acompanhando o andamento da investigação sobre a fraude na votação para a presidência do Senador Federal, em fevereiro deste ano. Aquela que virou um caos quando se constatou a existência de 82 cédulas de votação, quando só existem 81 senadores. Pois bem, Mecias é apontado como o principal suspeito da fraude. Mas, segundo a publicação ele tem pressionado outro dois senadores, o que está emperrando a investigação. A revista chama o esforço de Operação Abafa e segundo apurado, realmente, o trabalho de análise de fotos e imagens do dia segue à passos lentos, favorecendo especialmente, Mecias de Jesus continua gozando das vantagens do mandato legislativo. Será que essa pouca vergonha seguirá imune?

 

Fiscaliza

Diferente deste trabalho feito pela Corregedoria do Senador Federal, o Tribunal de Contas do Estado (TCE), decidiu se manifestar a respeito da polêmica envolvendo os contratos da Saúde. Em nota encaminhada aos veículos de comunicação, o Tribunal informa que diversos processos de auditoria em análise, incluindo o iniciado em janeiro deste ano, quando o Conselheiro Joaquim Neto, intimou a Sesau a apresentar a relação de profissionais, plantões e valores devidos. Para complementar essas informações, o TCE também solicitou dados da Cooperbrás empresa que é responsável por administrar a mão de obra dos médicos. Esse é um dos pontos que está gerando conflito, o governador Denarium não esconde de ninguém que existe também um esquema de favorecimento para médicos que não cumprem plantão, mas recebem por isso. São muitos problemas que precisam ser identificados e corrigidos, punindo os responsáveis por depreciar a rede pública de saúde. A Coluna espera que os resultados práticos apareçam e que os serviços melhorem.

 

SEE ALSO ...