Coluna Roraima Alerta

04.04.19_RR Alerta

Governado cumpre promessa de campanha e doa salário para instituições


Conciliação

A Câmara Municipal vive um clima de conciliação. Apesar de algumas divergências naturais entre os vereadores e Executivo Municipal, tem-se visto um trabalho de contato com a população e de preocupação com as necessidades da cidade. O uso das redes sociais tem aproximado os vereadores da população e ajudado também a conscientizar sobre o papel do legislativo municipal. E com a união de esforços pelo bem da população, o resultado tem sido positivo tanto para os vereadores quanto para a gestão municipal que alcançou índices invejáveis de 83% de aprovação da população. Uma gestão que serve realmente como modelo para o restante do país.

 

 

Exemplo

Bem que o governador Antonio Denarium (PSL) poderia bater um papo com a prefeita Teresa Surita (MDB) para discutir algumas estratégias de gestão. Para quem lembra, Teresa assumiu a prefeitura em 2013 totalmente devastada, com prédios caindo aos pedaços, serviços públicos funcionando precariamente e programas sociais paralisados. Na época, Teresa avisou que não seria uma tarefa fácil recuperar a cidade e que ela levaria pelo menos um ano e meio para conseguir voltar a fazer investimentos. Hoje, são mais de 97 obras em andamento por toda a cidade, além de iniciativas pioneiras acompanhadas até por instituições internacionais, como o Família que Acolhe. Quando perguntada sobre o segredo do sucesso, a prefeita sempre responde: Aqui tem gestão.

 

 

Governo

Voltando à Denarium, ele assumiu o governo com o peso da responsabilidade de cumprir as promessas que fez. Alardeou que o problema do Estado não era dinheiro, mas sim gestão. Prometeu manter os concursos públicos e aumentar o crédito social, porém, agora enfrenta o peso das expectativas que ele mesmo criou em seus eleitores. Com Teresa, ele poderia pegar umas dicas de como promover essa reorganização. Até agora, a reforma administrativa com redução de secretarias e cargos comissionados não saiu do papel e ao invés de valorizar os servidores públicos, o governo tem ingressado com Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI), questionando direitos adquiridos. Na prática, Denarium ainda não acertou o rumo para o cumprimento das suas promessas e para a tão necessária reorganização do Estado.

 

 

Cumpriu

Pelo menos Denarium se livrou de uma dívida assumida publicamente na sua campanha para Governo. Ontem (3), ele foi até a sede da APAE/Boa Vista onde formalizou a doação de parte do salário de R$ 30,9 mil que recebe como chefe do Executivo para instituições que realizam atendimento social. Conforme informado ao RR em Tempo, 15 instituições serão atendidas com o repasse de aproximadamente, R$ 1,5 mil por mês. Abrir mão do salário foi uma das suas promessas de campanha e segundo Denarium, 'é uma forma de retribuir para Roraima'. Ele não é o único que fez isso. O deputado federal Haroldo Cathedral (PSD) também optou por usar a remuneração de sua função parlamentar em prol de instituições que atendem à comunidade, o que está sendo feito desde o seu primeiro mês de mandato. Denarium demorou três meses para cumprir a promessa, mas finalmente, conseguiu.

 

 

Mais uma

Mais uma semana praticamente concluída e nada de votação do Orçamento Estadual. Roraima deve ser o único Estado a viver essa situação que é, no mínimo, preocupante. Já dissemos aqui, a Lei Orçamentária é instrumento para organizar a gestão dos recursos públicos, para definir prioridades e para que o cidadão também acompanhe onde os recursos estão sendo aplicados. Sem isso, o Governo segue gastando sem planejamento e, na condição que o Estado se encontra, é agravar ainda mais a desorganização financeira a ponto de criar uma condição irrecuperável. É necessário uma forte articulação e entendimento entre a gestão estadual e a Assembleia Legislativa. Pelo que está acontecendo nos bastidores, essa aproximação ainda segue fragilizada e Denarium terá que adotar posições para conseguir estabelecer um diálogo mais conciliatório com os deputados se quiser realmente, ver esse orçamento aprovado.

 

 

Dia 9

O retorno das aulas no interior estava previsto para o dia 9 deste mês. Ia tudo bem, até que o Governo decidiu abrir um processo emergencial para contratação de empresas do transporte escolar. A justiça bateu em cima e exigiu que o processo fosse feito com maior transparência, através de licitação. Apesar de transparente, a licitação também é mais demorada. Porém, vale lembrar que o transporte escolar é um problema que vem se arrastando desde o ano passado, quando houve a paralisação que prejudicou muitos estudantes. Denarium assumiu o Governo com essa situação e deveria ter elencado isso como prioridade. Agora, tudo indica que as aulas no interior devem ser adiadas mais uma vez, porque falta o transporte escolar. É mais prejuízo para os alunos, para as famílias, para os profissionais de educação e para o futuro de todo o Estado.

 

 

SEE ALSO ...