Coluna Roraima Alerta

03.04.19_Roraima Alerta

Senador Chico Rodrigues recebe quase R$ 20 mil por diárias apenas em Março


Diárias

Dados do Portal da Transparência do Senado Federal mostram que só no mês de março, o senador Chico Rodrigues (DEM) recebeu quase R$ 20 mil de diárias, referente a viagens que fez para Toronto, no Canadá e para Israel. Esse valor se soma aos vencimentos mensais e as verbas auxiliares de gabinete. É dinheiro que sai do bolso do contribuinte para financiar a atividade parlamentar e que, na prática, deveria trazer algum tipo de retorno significativo, especialmente, para a população do Estado que o elegeu. Mas, na prática...

 

Retorno

O recebimento de diária é direito do servidor público e não há realmente, nenhum impedimento legal ou moral para que o senador Chico Rodrigues usufrua disso. Mas, a questão é: que tipo de retorno ou resultado essa agenda legislativa no Canadá e em Israel trouxeram para Roraima? A resposta é bem simples: nenhum. Apesar do alto investimento de recursos públicos para o cumprimento desta agenda oficial, não há nada no roteiro estabelecido pelo senador que possa vir a contribuir com o desenvolvimento do estado ou com os problemas do Estado. Enquanto, Chico posta foto almoçando em Jerusalém, os alunos do interior seguem sem aulas por falta do transporte público; no HGR falta medicamento e materiais; e os servidores estaduais estão com seus diretos ameaçados.

 

Chico Gasolina

Em 2006, quando Chico cumpria um dos seus quatro mandatos como deputado federal, foi destaque nacional no escândalo das notas de combustível da Câmara Federal. Em entrevista ao jornal O Globo, o parlamentar confessou que apresentava notas de lanches e almoços para receber o reembolso dos custos de combustível. Na época, Chico recebeu o equivalente a 26 viagens de Manaus a Porto Alegre. Dinheiro público que foi para o bolso do parlamentar e que, mesmo após a confissão, seguiu impune. As práticas de Chico parecem não ter mudado. Agora, suas prioridades são receber diárias e continuar viajando, ausente dos problemas que o Estado vem enfrentado.

 

Caloteiro

O senador Telmário Mota (PROS) que já era conhecido pelo seu discurso histórico sobre o planeta Nibiru, que responde na justiça uma acusação de agressão contra a mulher e, que é um fã da rinha de galo, vai somar ao seu currículo nada exemplar mais uma vergonha. Ele agora também pode ser chamado de caloteiro. Isso porque Telmário foi multado pela Justiça Eleitoral por fazer propaganda eleitoral antecipada, em 2018, quando se candidatou ao Governo do Estado. A decisão final saiu em 9 de outubro do ano passado e a justiça deu 30 dias para que Telmário pagasse a multa, coisa que ele não fez. Esta semana, a Justiça Eleitoral acionou novamente Telmário e abriu novo prazo de 30 dias para que ele quite a multa de R$ 5 mil. Os que conhecem o senador de perto afirmam que esse é um valor irrisório. Até onde se sabe, Telmário tem galos de briga que custam bem acima desse valor. Basta saber se ele vai acatar a decisão da justiça e agir de maneira honrada.

 

Enquadramento

Nos últimos dias, muito tem se falado sobre o processo do enquadramento. É um trabalho que interessa a muita gente porque representa a oportunidade de melhoria de vida para que ajudou a construir o Estado. De fato, o direito ao enquadramento está devidamente garantido na Constituição Federal e, nessa situação, até mesmo os opositores concordam e reconhecem o protagonismo do ex-senador Romero Jucá que foi o criador da PEC 199, a proposta que deu origem à Emenda Constitucional 98, a lei que ampara aqueles que trabalharam até outubro de 1993. O que falta para o enquadramento seguir em frente? Apenas vontade do novo governo.

 

Responsabilidade

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem sinalizado que investir no funcionalismo público não é uma de suas prioridades. Nesta condição, toda a bancada federal de Roraima, especialmente, os três senadores precisam se unir em prol da defesa dos servidores que atuaram no es-território. Compete a esse trio negociar com o presidente a inclusão dos que estão aptos, que já tiveram seus nomes publicados em ata, na folha de pagamento. Tá na hora dos interessados começarem a cobrar dos parlamentares eleitos que eles cumpram sua responsabilidade legislativa. Tanto na esfera estadual, dando apoio aos servidores de Roraima que seguem ameaçados pelas Ações de Inconstitucionalidade feitas pelo governo estadual, quanto os que aguardam a inclusão no quadro da União. A lei está pronta e garante esse direito, agora é só o governo cumprir.

SEE ALSO ...